O excesso de informações sobrecarrega nosso sistema cognitivo, podendo afetar nossa memória e desencadear transtornos (como de ansiedade). Para que isso não aconteça, é necessário encontrar um ponto de equilíbrio no meio da era digital.

Desconectarmos do mundo virtual e consumir conteúdos de forma lenta – seja aproveitando a leitura de um livro ou se permitindo assistir a um filme sem o smartphone do lado – são maneiras saudáveis de evitar ser atingido pelo excesso de informação. Entretanto, há momentos da vida em que isso é inevitável, como o ano de vestibular.

A jornada de estudo, que exige muito foco e dedicação, força o cérebro a memorizar (e entender) o máximo de informações possíveis dentro de um prazo estipulado. Para alguns essa é uma tarefa fácil, para outros nem tanto… A fim de auxiliar neste processo, selecionamos 5 técnicas de memorização que te ajudarão nos estudos, diferentes dos resumos e associações que já estamos acostumados:

1. Construa o “palácio da memória”

Criada na Grécia Antiga, essa técnica foi utilizada pela primeira vez pelo criador da mnemotecnia, Simônides de Céos. Simônides participou de uma festa em um palácio onde um quarto desabou. Como conseguia lembrar a localização de cada um no ambiente, conseguiu reconhecer todas as vítimas fatais.

A técnica consiste basicamente em usar a memória espacial para gravar nomes. O objetivo é criar um lugar imaginário, podendo ser casa ou até mesmo um jardim, visualizar todos objetos e móveis presentes e associar uma memória a cada um deles.

2. Faça uso de acrônimos

Acrônimos são as siglas inventadas a partir da primeira letra ou sílaba das palavras para formar uma nova palavra. Essa técnica ajuda na memorização por facilitar a lembrança da palavra inventada.

Exemplo de acrônimos conhecidos: ASAP (as soon as possible, que em português significa: o quanto antes).

3. Reflita por 15 minutos e alimente um diário

Pausas são necessárias para aliviar o stress e encontrar um respiro para a mente. Ao fim da jornada de estudos, reserve 15 minutos de reflexão sobre tudo que foi estudado e anote em tópicos em um diário. Isso auxilia na organização de novas informações em nosso cérebro.

4. Conecte informações velhas com novas

Associar informações novas a algo que já faz parte da rotina auxilia a inserção e armazenamento dessas informações em nosso domínio cognitivo. Uma forma interessante de aplicar no dia a dia é contextualizar a situação: se você precisou sentar, analise as suas pernas e tente adivinhar o grau de angulação que elas estão. Lembrando que para estarem relaxadas, o ângulo dos joelhos deve ser de 90º.

5.Transforme tudo em música

Estudos mostram que a criação de uma melodia por trás de um conjunto de palavras tende a facilitar (e muito!) a memorização das mesmas. Sempre que estiver com dificuldade, lembre de despertar o seu lado artístico. Com certeza te ajudará a ficar cantarolando em meio às provas.

Para aplicação de todas essas técnicas, é importante deixar o notebook e o smartphone de lado. Neste momento, o lápis e o papel são seus maiores aliados na arte da memorização: eles exigem uma grande atividade mental que auxilia no processo de associação de palavras, experiências, sensações etc.

Independente do processo de estudos, treine seu cérebro até estabelecer um ritmo e, depois de identificar qual técnica funciona melhor para você, aperfeiçoe ela a seu favor. 

MATRICULE-SE AGORA